ACRE.GOV.BR

Em Brasília, governo avança com projeto do Parque da Cidade de Rio Branco

Por: Felipe Hid

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop), apresentou nesta quarta-feira, 28, o projeto arquitetônico do Parque da Cidade de Rio Branco durante audiência no Setor Militar Urbano, no Quartel General do Exército, em Brasília. A construção do parque moderniza e melhora a mobilidade nas duas vias mais movimentadas da capital: Avenida Nações Unidas e Rua Isaura Parente.

Projeto ganhou continuidade para, em breve, ser executado pelo Estado. Seop esteve na capital federal com os militares após convite de um parlamentar. Foto: Ascom/Senador Alan Rick

O projeto, de iniciativa do senador Alan Rick, visa o aproveitamento da área do 7º BEC – Batalhão de Engenharia e Construção, para a criação de um novo espaço de lazer, esporte, cultura, gastronomia e entretenimento.

Gestor da Seop durante apresentação do Parque da Cidade, que fomentará a economia do estado e gerará milhares de postos de trabalho e renda. Foto: Ascom/Senador Alan Rick

Representante do governo do Estado na agenda, o titular da pasta de Obras Públicas, Ítalo Lopes, expôs junto ao parlamentar federal o plano ao comandante-geral do Exército Brasileiro, general Tomás Miguel Paiva, e ao chefe do Departamento de Engenharia e Construção, general Anisio David de Oliveira.

“O objetivo do governador Gladson Cameli é melhorar nossas cidades pensando no futuro e, assim, garantir o desenvolvimento do estado em prol da população. A Seop está disposta a colocar em prática ações que beneficiarão todo o Acre”, frisou Lopes.

O projeto tem apoio do governo federal, por intermédio do Ministério da Defesa. De acordo com o senador Alan Rick, o processo avançou visando a criação do parque, que contará com centro de convenções; quadras cobertas; restaurantes; pistas de ciclismo, espaços comerciais, além de um parque infantil adaptado para crianças com transtornos diversos, como o do espectro autista (TEA).

“Passamos para as fases técnica e jurídica, que envolvem a avaliação dos locais para as futuras instalações do 7° BEC e a transferência dos terrenos entre a União e o governo do Estado”, explicou.

Skip to content