ACRE.GOV.BR

Novo prédio do Comando-Geral do Corpo de Bombeiros é vistoriado pelo governo

Por: Felipe Hid

Em Rio Branco, as obras do governo do Acre realizadas na nova sede do Comando-Geral do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) estão a todo vapor. A execução dos serviços foi inspecionada nesta segunda-feira, 6, pelas equipes técnicas do CBM e da Secretaria de Estado de Obras Públicas (Seop). O prédio está localizado na Avenida Ceará, onde funcionava a Vara de Execuções de Penas e Medidas Alternativas do Tribunal de Justiça do Acre.

O investimento na reforma do Comando-Geral é de aproximadamente R$ 2 milhões, proveniente de recursos próprios do Estado, por intermédio da Acreprevidência. Foto: Jean Lopes/Seop

De acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Charles Santos, a futura sede melhora a logística e assegura mais celeridade no atendimento à população.

“Mais uma grande obra que será entregue em breve pelo Estado. Solicitamos o apoio da Seop para que otimizássemos a questão do layout interno e também do atendimento ao público. Todos os serviços de atividades técnicas e operacionais ficarão concentrados aqui, bem como o centro de atendimento e resposta da Defesa Civil”, relatou o coronel.

Prédio possui três pavimentos e abrigará as diretorias da instituição e o Centro de Operações da Defesa Civil Estadual. Foto: Jean Lopes/Seop

O titular da pasta de Obras Públicas, Cirleudo Alencar, afirmou que a Seop contribuirá com o CBM a partir de ações que possam melhorar a estrutura. “Será um prédio moderno, que garantirá um atendimento de qualidade aos cidadãos e um lugar melhor para que os nossos bombeiros possam atender com dignidade à população”, frisou.

Obras deixarão espaço adequado para os Bombeiros e estão fomentando a economia do Acre com a geração de empregos. Foto: Jean Lopes/Seop

A obra vem gerando trabalho e renda para operários da construção civil. “Agradeço ao governo por este serviço, que me ajuda bastante no sustento da minha família. É por meio deste serviço que consigo pagar as contas, o nosso aluguel”, contou o operário Marlisson Ferreira.

Skip to content